Olá, pessoal!

Hoje teremos a entrevista da autora Lu Muniz, autora de Doce Inocência que já tem resenha no blog!



     1.    Como surgiu a ideia de escrever um livro?

      R: Aos 13 anos de idade, fui presenteada por uma colega com um livro de romance banca de jornal. Ele estava sem capa e bem velho. Mas a leitura foi tão intensa para minha cabeça de menina que fiquei encantada com a possibilidade de escrever histórias de amor. O original de Doce Inocência surgiu em 1992, em um caderno de dez matérias. Em uma época que não existia celular nem internet. Foi um desafio para mim reescrevê-lo já que as redes sociais poderiam ter aproximado os protagonistas. 

     2.  Teve alguma cena que você se emocionou escrevendo? Qual foi? 

         R: Eu sempre fico sensibilizada escrevendo qualquer trecho que faça referência a Bastiana. Ela é uma personagem muito forte e que se faz presente até quando está ausente.

     3.  Qual foi a cena que mais gostou de escrever? 

           R: Gosto muito da cena após a festa de aniversário. Foi bem divertido escrever!

         4As descrições de sentimentos e emoções de Fran são sempre muito profundas e as comparações feitas com estes sentimentos são muito bonitas. Onde conseguiu inspiração para escrever desta forma? 

      R: Procuro sempre deixar que as emoções dos personagens venham até mim. No caso da Francine, é uma narrativa em primeira pessoa, no PRESENTE. Você reparou? Tudo acontece em tempo real, aqui e agora. Francine narra à medida que vive as ações. Não há tempo para que reflita sobre elas. Dessa forma, eu tento senti-la dentro de mim e permito que se expresse da maneira que convém. Ela é uma personagem que está amadurecendo em todos os sentidos. É uma menina mimada, mas que procura ser melhor a cada dia. E ela tem uma forte conexão com a poesia, com a natureza, com o amor... Então, eu sou apenas um instrumento. Eu a ouço e tento reproduzir da maneira mais fiel os seus sentimentos. É assim com todos os personagens. Eles têm vida própria!


5. Qual sentimento você quis causar nas pessoas com seus livros?

      R: O principal sentimento será o amor que tudo move, em suas mais variadas formas.

6. Além da música do próprio livro “Doce Inocência”, qual música você acha que combinaria com a “trilha sonora” do livro?

      R: Eu acho que seria “Menina”(Netinho) ou a “One and only”(Adele).

7. Durante a leitura, não consegui me decidir se amava ou odiava o Ivan. Qual sentimento você quis despertar nos leitores com esse personagem? 

      R: O Ivan é um personagem experiente e que guarda um profundo respeito pela família da Francine, além do seu sentimento fraternal por ela. Deve ter sido muito difícil lutar contra seus novos sentimentos! E ele fez isso o máximo que pode e de forma até desesperada. O fato é que temos somente a perspectiva da Fran em sua visão idealizada de um homem que é apenas comum e cheio de defeitos como qualquer outro. Amá-lo ou odiá-lo tem mais a ver com sentimentos dela durante sua narrativa do que com o que de fato ele é.

8. Sentiu vontade de mudar algo no livro depois que ele já estava finalizado?

      R: Sim. O livro tem duas versões: a original manuscrita e a publicada. A essência é a mesma. Só houve mudança na estrutura do texto.
Eu percebi que alguns leitores pensaram se tratar de uma história exclusiva para adolescentes por ter começado com a protagonista aos 14 anos. Então eu decidi trazer uma surpresa para o livro físico: um capítulo foi adaptado para ser Prólogo. E em seu lugar, haverá a mesma cena, só que na perspectiva do Ivan. Além disso, todos os capítulos receberão títulos.

9. Como você fez para divulgar a história?

     R: Eu priorizei a leitura em um único veículo, que no caso foi a Amazon e explorei bastante as redes sociais para divulgação. Fechar parcerias com blogs também foi de suma importância para ganhar visibilidade através das resenhas positivas.

10. Que dica você pode deixar para os novos autores? 

       R: Eu ainda sou uma “nova autora”(risos) nesse mercado. Escrevo desde muito novinha, mas foi mais para mim mesma do que para outra pessoa.
Bom, a dica que dou é mais como professora do que como autora: Não tenha pressa! Uma boa história, além de criatividade, requer prática e o mínimo de apreço pela Língua Portuguesa. O ato de escrever requer paciência. Ler e reler o que está sendo escrito é tão importante quanto ser criativo.


E essa foi a nossa entrevista com a querida autora Lu Muniz. Espero que tenham gostado e se já querem adquirir o livro (Clique aqui)




Autora: Lu Muniz 


Gifs: Engram Pixel 


14 Comentários

  1. Amei a entrevista. Linda e talentosa, Lu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Deane! Bem- vinda ao blog !!

      Ficamos felizes que tenha gostado da entrevista. Verdade, a Lu é muito talentosa!!

      Beijos !!

      Excluir
  2. Adorei a entrevista! Lu você merece!😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paula!! Bem - vinda ao blog!!

      obrigada!! Ficamos felizes que tenha gostado!!! :)

      Beijos

      Excluir
  3. Parabéns pela entrevista!
    Eu amei. Não conhecia a autora, mas me interessei muito.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Que fofa a Lu, adoro estas entrevistas com escritores, pois até vê-los, nem parecem ser de verdade, adoro pois o tornam mais reais.
    Vou pesquisar sobre ela e o ler a resenha do livro. Adorei o blog.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiii! Mais uma entrevista incrível! <3 Já vou procurar saber mais da autora e de sua obra! Amei!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi! Que legal poder conhecer a história por trás de um livro =D
    Adorei a entrevista, e concordo sobre a questão de que para escrever bem a pessoa deve ter um apreço pela Língua Portuguesa. A forma de escrever, com coesão e coerência, são tão importantes quanto se ter criatividade... Sucesso!

    ResponderExcluir
  7. Oiii!

    Eu não conhecia a autora e fiquei animada para conhecer a obra, cara, fico imaginando a dificuldade dela em reescrever tudo, né? começou bem novinha!
    Fiquei animada!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Adorei a entrevista! Ainda não conhecia a obra e por citarem tanto ela na entrevista, vou conferir hahah

    Deve ter sido complicado reescrever tudo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Amei a entrevista! Muito legal conhecer um pouco sobre o processo de criação da autora. Não conhecia o livro, mas fiquei bem curiosa para ler!
    Beijos

    http://dicas-malu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. otima entrevista, ela apresenta ser uma pessoa bem extrovertida e simpatica, o fato dela sempre expor seus sinceros sentimentos a obra <3

    ResponderExcluir
  11. Muito boa essa entrevista com a Lu, o livro dela parece ser ótimo. Lembrei muito de minha época de adolescente quando ela falou sobre a música "Menina" de Netinho, que eu amo de paixão!!!
    Linda história e está anotadinha para eu correr atrás do livro! Obrigada por partilhar!
    Abração,
    Drica.

    ResponderExcluir
  12. Meus parabéns pela entrevista!
    Ficou ótimo e desejo sucesso as duas.
    É muito bom conhecer novos escritores.

    ResponderExcluir